Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘Compreender o Ascendente’ Category

Astrologia-e-Autoconhecimento-Centro

Tecnicamente, o Ascendente (Asc) representa a linha do horizonte que cruza a cintura do Zodíaco a Leste, no exacto momento em que nascemos. Como o dia tem 24 horas e o Zodíaco tem 12 signos, o signo do Ascendente muda de 2 em 2 horas. Esse é um dos motivos pelo qual é igualmente tão importante sabermos a hora exacta do nosso nascimento.

Movimentos_do_sol

A associação simbólica (astrológica) é que o Asc corresponde à energia que usamos diariamente para fazer “ascender” a nossa Consciência (Sol). Pois se ele representa a linha do horizonte que cruza o Zodiaco a Leste, o ponto cardeal onde nasce o Sol, é para fazer nascer o Sol em nós que acordamos todos os dias. A casa XII corresponde ao período final de gestação e o Asc é o momento em que saímos do útero materno para a Vida, o momento em que lutamos para nascer. Através das qualidades do signo e do seu regente, este ponto marca a forma como (literalmente) nascemos para a Vida, e como sentimos que a vida nos recebeu. Torna-se a nossa “primeira pele”, a energia que imprimimos em tudo o que iniciamos e projectamos sobre o ambiente, bem como a energia sobre a qual vamos construindo a nossa “máscara” à medida que vamos percepcionando o que esse mesmo ambiente nos devolve. O Asc fala das ferramentas que a nossa personalidade desenvolve e utiliza para que possamos consolidar a construção do nosso Ser. Podemos reduzir o conhecimento astrológico à mera descrição de traços de personalidade que condicionam os vários tipos de Asc a formas de expressão extremamente redutoras e tão frequentemente falíveis, ou podemos ampliar o seu entendimento e enquadrar a sua simbologia como um dos pontos fundamentais a compreender no processo de desenvolvimento da Alma, essencial no percurso de vida da Consciência porque, conforme vimos, tudo nasce a partir do Asc, ;

«Para a astrologia esotérica o Ascendente representa um indicador das intenções ou propósito imediato da Alma para esta encarnação. Ele detém o segredo do futuro e representa uma força que, se for corretamente usada, irá guiar o homem ao sucesso. O Ascendente representa o sattvic ou o aspecto de harmonia e através da sua energia podemos desenvolver uma correcta relação entre a Alma e a personalidade ao longo dessa encarnação. Ele aponta o caminho que permite reconhecer a força da Alma.»
(Esoteric Astrology, pag. 18, Alice Bailey)

E se existe um nascer do Sol (Consciência), existe um pôr-do-sol. Esse ponto cardeal corresponde ao Descendente (Dsc), tecnicamente situado a 180º. A energia do signo que está no Dsc é exactamente o oposto do nosso Asc. Então, por simbologia esse ponto corresponde a uma zona onde temos menor Consciência de nós próprios e onde vamos atrair as relações necessárias para que possamos desenvolver essa parte em nós.

Tenho por hábito dar este exemplo durante as minhas aulas; experimentem olhar para todas as partes do vosso corpo e vejam se assim conseguem tirar uma imagem exacta de vós próprios. Impossível ter essa leitura. Para conseguirmos ver o nosso corpo na totalidade precisamos de um espelho. O espelho vai reflectir a nossa imagem e isso permite que tenhamos a representação mental exacta da nossa forma, do nosso corpo, da nossa imagem física. Pois bem, o Dsc corresponde à Casa VII, uma casa que está associada à energia natural de Balança. Balança é um signo de espelhos, onde a relação que tenho com o(s) outro(s) espelha a relação que tenho comigo próprio. O Asc corresponde ao nosso corpo e o Dsc ao espelho que precisamos de usar para nos vermos melhor e fazermos os ajustes necessários ao desenvolvimento da nossa Consciência. O objectivo é que a nossa imagem vá ficando progressivamente mais nítida à medida que aprendemos com essa experiência. À medida que assim é, a energia do Asc fica mais completa e aquilo que dou e recebo das relações (Dsc) aproxima-se mais da verdadeira partilha do que de um complemento.

As nossas relações são uma oportunidade de desenvolvimento e por isso é fundamental assumir responsabilidade pela qualidade da energia que projectamos e atraímos, ao invés de culpar as nossas relações pelo que elas nos devolvem. Não se esqueçam de que são um “espelho”.

Aprofundamento sobre a simbologia do Asc/Dsc:

A relação entre o significado do Asc e o Sol (Leão / Casa V) parece ser evidente para todo o estudante de astrologia ou astrólogo. E em relação ao Dsc?  Para mim faz sentido relacioná-lo com Saturno e Úrano (Aquário / Casa XI).

Relação entre o Asc e o Sol

Os 12 signos do Zodíaco representam energias arquetípicas cujo significado está igualmente transferido para as 12 casas. Assim, o Asc corresponde à casa I e por isso está associado à energia do 1º signo do Zodíaco que corresponde ao arquétipo de Carneiro. Carneiro é igualmente o signo onde o Sol encontra a sua exaltação. Este posicionamento representa a Coragem para Sermos nós próprios, a capacidade de Lutarmos pelo nosso Propósito de Vida (a energia de Marte quando serve a Consciência – Sol). O Sol recebe do seu anfitrião (Marte em Carneiro) as suas melhores qualidades para que se possa expressar. Então, seguindo esta linha de raciocínio, é fácil de perceber porque é que o Asc serve o Sol. Para além de outros significadores interessantes como Carneiro e Leão / Casa I e Casa V fazerem parte da tríade de Fogo, ou seja, signos e casas que estão naturalmente a 120º de distância entre si, o que em astrologia se define como um Trígono.  Aí teremos a personalidade a servir o Espirito. E o Asc não tem igualmente relação com os restantes planetas do mapa natal? Evidente que sim, mas em última análise todo o mapa tem como propósito desenvolver a nossa Consciência, ou seja, o Sol, para o qual todas as funções representadas por esses mesmos planetas contribuem! Afinal, ele é o centro do Sistema Solar, o único astro com luz própria, o único corpo celeste emanador de Energia. Todos os restantes astros reflectem a sua Luz.

Relação entre o Dsc e Saturno/Úrano

E porque ainda somos seres divididos, aprendemos em reflexo e por devolução das nossas projecções. Por isso o Dsc vai reflectir a energia que complementa o nosso kit de ferramentas pessoais, onde ainda somos limitados, e que é essencialmente vivida através das nossas relações. Se nos complementa significa aquilo que ainda falta em nós, isso corresponde igualmente à sombra que o(s) outro(s) tão amorosamente nos devolve(m) – Vénus/Dsc – e que nós (tendencialmente) interpretamos como um ataque ou afronta à nossa persona (quando não gostamos do que vemos) – Marte/Asc. Encontrar esse equilibrio em nós é sermos capazes de desenvolver a Sabedoria para lidar com a Vida. E é aqui que pretendo estabelecer uma relação entre o arquétipo de Saturno com o signo da Balança e a Casa VII (Dsc). Aqui é Saturno quem encontra a sua exaltação em Balança. Para mim este posicionamento fala (entre outras coisas) de que a Sabedoria da Vida está na capacidade de compreender a nossa falta de equilíbrio interno, em estruturar a relação de compromisso entre a personalidade e a Alma, para viver e relacionar-mo-nos com a Vida em harmonia, entendendo que tudo o que projectamos é reflectido e assumir a responsabilidade de lidar com o que nos é devolvido de modo a restabelecer do desequilíbrio criado. E isso é viver em Paz com a Vida. Então, seguindo esta linha de raciocínio, podemos (à semelhança do que fizemos entre o Asc e o Sol) igualmente associar uma relação geométrica entre estes 2 arquétipos e que reforça o poder da exaltação de Saturno em Balança. Porque é que a Vénus serve Saturno (Dsc serve a Casa XI)? Para além de tudo o que foi explicado, Balança e Aquário / Casa VII e Casa XI fazem parte da tríade de Ar, ou seja, signos e casas que estão naturalmente a 120º de distância entre si. E temos novamente o Trígono. É o entendimento e a Maestria (Saturno) deste Equilíbrio (Vénus / Balança) que nos permite ser Livres (Úrano / Aquário). Bem, isto ainda dava para mais desenvolvimento, porque Úrano é regente esotérico de Balança e Hierárquico de Carneiro… Liberdade não é fazer o que nos dá na real gana, mas entender, esta Lei Universal tão simples, a Lei da Atracção (regida por Vénus). Encontrar o ponto de equilíbrio que nos coloca no centro da esfera e não na sua periferia onde a polarização acontece.

Analisando o eixo Asc/Dsc desta forma, parece que faz sentido encontrar uma relação directa entre o Asc e o Sol, e entre o Dsc e Saturno / Úrano.

Por sua vez, o Sol rege o signo de Leão, e Saturno / Úrano o signo de Aquário, signos que se encontram naturalmente em oposição e por isso complementares e que nos permitem desenvolver o nosso processo de Individuação. Encontrarmos esse Centro (Sol) que nos permite viver em equilíbrio é ser Livre (Úrano). Isto parece que “encarece” o valor daquilo que representa o eixo Asc/Dsc…

Resumindo para não baralhar mais:

Sim, é verdade que nem sempre existe uma relação fácil entre a energia do signo Asc e o signo referente ao posicionamento do Sol no mapa natal de cada um. O primeiro impacto que temos sobre o ambiente que nos rodeia, a forma como com ele nos relacionamos pode esconder muito daquilo que somos após um contacto mais prolongado. E por esse motivo, quão mais difícil for a nossa capacidade de integrar a energia do signo Ascendente, mais difícil será a nossa relação com o mundo cá fora, mais difícil será “manejar” as ferramentas de que dispomos para lidarmos com a vida, e por isso ele pode transformar-se numa máscara que esconde a nossa verdadeira Essência (Sol), sentirmos que por muitas lutas e batalhas que travemos conseguimos expressar muito pouco de nós mesmos. Nesse caso existe uma maior necessidade de ajuste e compromisso para que a energia siga a Consciência. Por isso o aprofundamento dessa relação necessita de uma análise detalhada do mapa natal.

Significado de cada signo ascendente. (a ser postado à medida que é possível)

 .

© Ana Paula Pestana, All Rights Reserved | ap_pestana@hotmail.com

Anúncios

Read Full Post »

%d bloggers like this: