Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for the ‘2019’ Category

Lua Cheia a 27º39’ de Escorpião

18 de Maio de 2019

No dia de hoje, pelas 22:00, a Lua enche-se no signo de Escorpião. Esta é uma lunação igualmente importante por ser um acontecimento dedicado à celebração do nascimento e Iluminação de Buda. O processo de Iluminação é uma vitória da Alma sobre a personalidade, um processo que vivemos através do simbolismo do eixo Touro/Escorpião. Este eixo que canaliza a energia do 4º Raio – Harmonia através do Conflicto – promove a tensão necessária para que possamos tomar consciência da crise interna em que ainda vivemos e facilitar a destruição da ilusão da vida sem a morte. É em Escorpião que, através de Marte e Plutão, no seu melhor, somos devotos a uma luta cuja finalidade é trazer ao de cima o que estava oculto à nossa consciência. E quando isso acontece, faz-se Luz e é então que se abre o olho iluminado do Touro. A intensidade da luta é proporcional à resistência da personalidade em aceitar o processo de transformação. É em Touro que aprendemos a dar Valor à energia que foi finalmente libertada das suas formas em Escorpião, a apreciar a sua qualidade e onde, através de Vulcano (regente esotérico), forjamos novos recursos para construir novas formas de viver, mais belas e harmoniosas.

Esta fase do ciclo é importante no sentido de tomarmos consciência dos padrões que ainda nos mantém num estado de tensão e conflicto interno. Se estivemos dedicados ao processo de desenvolver a nossa consciência desde o início até aqui, por esta altura estamos já preparados para sentir o que é que temos de deixar morrer para que o processo de Construção (Touro) possa continuar. Compreendemos que há compromissos que estão obsoletos e sem vitalidade e estamos disponíveis para perder essas formas porque, neste estado de consciência, sabemos que o que vem a seguir tem muito mais Valor para o nosso desenvolvimento e crescimento. Temos a capacidade de reconhecer o que é que conseguimos construir a partir das cinzas

Esta fase torna-se importante para reconhecer padrões internos destrutivos que precisam de ser processados de modo a libertar a energia que se encontra condicionada. Estes sentimentos, memórias, ou qualquer impressão subjectiva  que tenhamos guardado das nossas experiencias passadas, drenam a nossa energia e esgotam os nossos recursos. Ao mantermo-nos neste registo estamos a escolher alimentar o conflicto. O potencial desta Lua Cheia em Escorpião é que este pode ser um momento em que se faz Luz na nossa consciência sobre o que, até agora, permanecia oculto. Ainda assim, dependendo do nosso condicionamento psíquico, esta pode ser uma fase muito intensa emocionalmente porque, na dificuldade em construir um sentido de permanência, deixamo-nos seduzir pela ilusão de que há algo fora de nós que nos quer destruir. Temos maior dificuldade em compreender que aquilo que destrói a nossa paz é, na verdade, nós mesmos. Nesta lunação, Marte em Caranguejo e a Lua em Escorpião encontram—se em recepção mútua tornando a relação entre os dois princípios energéticos muito forte. Esta relação pode favorecer uma luta inglória que apenas tem como objectivo validar o seu pequeno sentir, ou favorecer a atitude incisiva que lidera e abre o caminho no sentido de cortar com o mal pela raíz.

O sentido da permanência que é construído em Touro refere-se a um centro imutável a partir do qual travamos todas as batalhas. Na verdade, aquilo que não nos mata, torna-nos mais fortes… Essa força é construída a partir deste Centro imutável que se manifesta quando despertamos do mundo da ilusão em que nos encontrávamos e passamos a ser capazes de ver a vida como ela é na realidade. Afinal Touro, é um signo de Terra, realista… Já Despertos passamos a celebrar a Iluminação que se gera na nossa Consciência a cada momento de crise.

*

© Ana Paula Pestana, All Rights Reserved | ap_pestana@hotmail.com

Anúncios

Read Full Post »

Lua Nova a 14º11’ de Touro

4 de Maio de 2019 | 23:45

 Touro é um signo com polaridade Yin. Isto significa muito mais que apenas características de personalidade como um lado mais introvertido ou passivo, menos interventivo na realidade externa. No entanto, procuramos satisfazer as suas necessidades através do prazer externo, da busca de abundância material e da acumulação de bens e recursos que nos tragam prazer e um sentimento de segurança existencial (pelo menos neste plano). Mas a sua qualidade Yin, remete para o interior de nós mesmos, relembrando que o trabalho de construir beleza e harmonia no mundo cá fora começa por compreender quais os recursos internos que temos à nossa disposição antes que possamos meter mãos à obra.

Através desta energia, Touro pretende trazer para a realidade terrena, ideias nascidas no plano da Alma, um processo simbolicamente desencadeado pelo signo de Carneiro. Recordo o que reflectimos com relação ao ciclo de lunação anterior:

“(…) podemos aprofundar a nossa consciência relativamente a esta Lua Nova, e trabalhar com o princípio que dá origem à acção, o pensamento. Carneiro é regido exotericamente por Marte, mas esotericamente por Mercúrio. Quando nos movimentamos neste sentido, podemos fazer deste ciclo de lunação uma oportunidade para usar o poder da acção para sair do estado de tensão em que nos encontramos, agir a partir de nova forma de pensar até que possamos conquistar o verdadeiro estado de ordem e harmonia que tanto desejamos.  (…) «a energia segue o pensamento» (…)”

(Lua Nova em Carneiro, 5 de Abril de 2019)

O chamado “constructor do zodíaco” é provido de uma inteligência particular, que raramente é astrologicamente reconhecida. É Regido exotericamente por Vénus, um planeta que canaliza a energia de 5º Raio – Ciência ou Mente Concreta. A intenção deste Raio é expressar Amor através do intelecto. Através da sua consciência o individuo aprende a compreender a intenção e o plano Divino através da Natureza, da ciência, do mundo físico e concreto. A partir deste ponto na consciência, tudo é Luz, mesmo a matéria mais densa… Este é o estado da Iluminação, ou o Olho Iluminado do Touro (em referência a Alice Bailey). O signo de Touro canaliza a energia de 4º Raio – Harmonia através do Conflicto – sendo que a sua intenção é materializar, fazer descer ao plano da matéria, a beleza e harmonia que resultam de um estado de Paz interno (signo Yin) e que é facilitado através da energia de 5º Raio (Vénus).

Este ciclo da Lua Nova em Touro, transporta consigo a energia de Úrano no mesmo signo. Entre a fase da Lua Cheia em Balança e a Lua Nova em Touro, a Lua e o Sol fizerem conjunção a Úrano. Isto traz para a consciência desta lunação uma energia antagónica para a personalidade, o desapego (para compreender a simbologia de Úrano em Touro, e enquadrar a energia numa perspectiva tanto pessoal como colectiva, consultar o artigo – https://ascendentt.wordpress.com/2018/01/17/2371/).  Aquilo que é importante mudar torna-se mais importante do que o prazer (Touro) que as experiências nos proporcionavam.

“Esta Lua Cheia em Balança representa um pico na expressão energética que este conflicto assume (ainda) nas nossas vidas. Podemos escolher disponibilizar milhões em recursos para reconstruir e reedificar as estruturas obsoletas da nossa vida, ou optar por aproveitar a intensidade do momento para recuperar em nós a sabedoria do passado e seguir em frente. A Lua em Balança pretende reflectir o que ainda precisa de ser harmonizado em nós com relação a este passado, para que possamos focar a nossa Vontade na construção de um novo caminho.”

(Lua Cheia em Balança, 19 de Abril de 2019) 

Dentro deste novo caminho que desejamos trilhar (consciência facilitada através da lunação anterior, Carneiro), olhemos para dentro e procuremos internamente quais os recursos que desejamos mobilizar para que possamos atrair aquilo que tanto desejamos e, principalmente, qual a qualidade desse desejo.

Esta é uma fase com qualidades práticas, por isso seremos convidados a lidar com a realidade das circunstâncias quando procuramos trazer a energia do plano da mente para o plano da matéria. No seu melhor ajuda-nos a perceber que para que o novo caminho se possa concretizar aquilo que valorizamos precisa de sofrer grandes mudanças. Ao colaborarmos com esta energia de desapego, a construção do novo caminho pode ser mais rápida do que esperávamos. A mudança realiza-se no sentido de tornar a nossa existência mais Pacifica e Harmoniosa, e por isso mesmo, aproveitando a energia de Úrano, é necessário libertarmo-nos do excesso que acumulámos ao longo do tempo, uma acumulação que nos tornou mais lentos e estagnados. Construir esta estabilidade interna permite-nos desenvolver uma abundância de recursos que fortalecem as nossas raízes e expandem a nossa consciência.

*

© Ana Paula Pestana, All Rights Reserved | ap_pestana@hotmail.com

Read Full Post »

Lua Cheia a 29º de Balança

19 de Abril de 2019 | 12:15 pm

Hoje é dia de Balanço

Este primeiro ciclo de lunação do ano astrológico teve a particularidade de ocorrer num contexto em que, como Humanidade, passamos por mais uma conjunção cíclica entre Saturno e Plutão. Esta conjunção, que se torna exacta em Janeiro de 2020, é ampliada em significado e em intensidade pelo domicilio de Saturno e pela conjunção ao Nodo Sul (igualmente em Capricórnio). Em termos muito genéricos, o encontro entre estes dois pesos pesados pretende produzir um efeito destrutivo e simultaneamente regenerador. O ciclo ocorre a cada 35 anos (média) e representa um período critico no desenvolvimento da consciência de cada um de nós. De certa maneira, todas as formas de que a consciência faz uso para se expressar e expandir têm o seu tempo contado.

Esta relação entre Saturno e Plutão está fortemente associada ao incêndio da catedral de Notre-Dame. Neste dia, o Sol em Carneiro estava em quadratura com Plutão em Capricórnio, absorvendo a energia do conflicto para este ciclo da Lua Nova.

Longe de interpretações moralistas ou religiosas, interessa-me realçar o simbolismo de Saturno e do signo de Capricórnio como representantes de uma energia Patriarcal (neste caso simbólizada pela estrutura da Igreja); e a Lua e o signo de Caranguejo como um dos simbolos representantes da qualidade Matriarcal (neste caso Notre Dame, a Nossa Senhora). O interesse neste evento em particular assenta na destruição simbólica da energia Patriarcal, e das estruturas de poder que conservámos nas nossas vidas ao longo do tempo, estruturas que se tornam opressoras e limitadoras. Estas estruturas assumem poder na nossa psique (e nas circunstâncias externas) através da energia que se condensou e cristalizou, baseada em repetidas validações dos resultados obtidos com as experiências ao longo do tempo.

Esta Lua Cheia em Balança representa um pico na expressão energética que este conflicto assume (ainda) nas nossas vidas. Podemos escolher disponibilizar milhões em recursos para reconstruir e reedificar as estruturas obsoletas da nossa vida, ou optar por aproveitar a intensidade do momento para recuperar em nós a sabedoria do passado e seguir em frente. A Lua em Balança pretende reflectir o que ainda precisa de ser harmonizado em nós com relação a este passado, para que possamos focar a nossa Vontade na construção de um novo caminho. Como incluir na reconstrução do nosso “culto existencial” o aspecto feminino que existe em todos nós e que marca a nossa natureza mais sensível, empática, inclusiva, universal. Pode tratar-se de uma oportunidade para tomarmos consciência da forma como movimentamos o poder no sentido de nos harmonizarmos com o mundo à nossa volta, de aplicar a vontade de cuidar e proteger o melhor que temos na vida, uma Vida que tem sido ao longo dos tempos, oprimida e sufocada. Que a Vida em nós possa reconhecer a Vida em cada um, e que cada um se possa reconhecer como uma parte da nossa Mãe Terra, a Notre-Dame, que tem sido tão atacada e destruída. Voltarmos a sentir para não perdermos esse Património de forma irreversível. Tomar consciência que a partir de um determinado limite (Saturno) não existirão milhões que a consigam recuperar…

A um nível pessoal precisamos de compreender que o que fica é a qualidade do caminho que fazemos. Para abrir um novo espaço na nossa Consciência, há padrões relacionais que carecem de urgência para serem quebrados. Reflectimos sobre aquilo de que realmente precisamos para nos sentirmos verdadeiramente em Paz. O quicuncio à Vénus, como regente desta Lua em Balança, apela a um esforço acrescido na compreensão deste sentimento de Paz. Por muito que queiramos, há coisas, pessoas e circunstâncias, que não conseguimos salvar. Implica uma compreensão de sacrificio de quem tem consciência de que há coisas que simplesmente têm que ficar para trás. A dureza (ou em alguns casos a violência) das circunstâncias podem trazer-nos uma sensação de dor e sofrimento que nos podem fazer sentir, em certa medida, vitimas das circunstâncias. Transcender este sentimento de frustração passa por sabermos desenvolver o desapego com relação às estruturas e formas que durante muito tempo assumiram uma posição de poder na nossa vida, e que acreditamos serem a nossa salvação. Passa por aprender a confiar de que o futuro é sempre mais que o passado.

Talvez diria que hoje será um dia muito importante para Balanço.

*

© Ana Paula Pestana, All Rights Reserved | ap_pestana@hotmail.com

Read Full Post »

Lua Nova a 15º17’ de Carneiro

5 de Abril de 2019 

Qualquer que seja a fase do nosso desenvolvimento, o ciclo de Lunação representa sempre um processo de tomada de Consciência (uma qualidade da Alma que emerge em consequência da resolução dos nossos conflictos internos, o “drama” da nossa vida), em que o Sol pretende cumprir sempre o princípio energético simbolizado pelo signo de Leão.

Do ponto de vista da personalidade, a relação entre o Sol e a Lua ao longo de um ciclo completo de, sensivelmente, 28 dias, representa o processo de tomada de consciência e integração de padrões de comportamento. Nesta perspectiva estamos a remeter a nossa reflexão para a simbologia da Lua como regente exotérico do signo de Caranguejo. Aqui estamos ainda no caminho de compreender as obstruções internas que impedem a manifestação daquilo que somos essência-lmente mas que, por força da nossa subjectividade individual, não tem espaço para se manifestar. As várias fases permitem o reconhecimento dos conflictos internos e permitem a oportunidade para iluminação à medida que vamos reagindo às circunstâncias.

Do ponto de vista da Alma, o ciclo de Lunação pressupõe um amadurecimento com relação ao estado descrito anteriormente, representando o processo consciente que resulta da relação entre energia e matéria, que permite a capacidade de trazer coesão e fazer algo útil e prático com a energia criativa. Pressupõe um trabalho activo e menos reactivo ao longo do ciclo. Nesta perspectiva, estamos a remeter a nossa reflexão para a simbologia da Lua como regente esotérico do signo de Virgem. Aqui estamos mais presentes no caminho de síntese de nós mesmos.

Durante o ciclo, a Lua pode estar a ser experienciada de forma diferente, ainda presa a Caranguejo, ou já mais livre e integrada através de Virgem. A primeira reage às circunstâncias baseada na impressão subjectiva (construída com base em memórias), a segunda trabalha com a experiência para dela tirar o melhor proveito, no sentido do autoaperfeiçoamento.

 

O significado da Lua Nova está ligada ao início, assim como o princípio associado ao signo de Carneiro, o que torna a simbologia desta lunação ainda mais intensa.  Este é um ciclo que pretende desenvolver a consciência do que na nossa vida precisa de “nascer”. Estamos, por isso mesmo, mais sensíveis ao poder dos nossos impulsos. Algo mais quer manifestar-se e isso impele-nos a agir e a sair de um qualquer estado de indefinição.

Somos convidados a desenvolver a coragem para começar de novo, a coragem para experimentar a vida com uma nova receptividade, nova com relação aos mecanismos padronizados de resposta. Isto pressupõe aceitar que algo chegou ao fim do seu ciclo e uma nova energia, uma nova vida terá que nascer no lugar do que não pode mais ter continuidade. Esse “nascimento” corresponde, no seu melhor, a uma energia mais refinada (não esquecer que o ciclo de lunação anterior foi de Peixes), a que podemos chamar de vida da Alma. A Alma procura abrir caminho por entre as formas e obstáculos para poder manifestar-se, mais e mais, na vida do individuo.

Mas podemos aprofundar a nossa consciência relativamente a esta Lua Nova, e trabalhar com o princípio que dá origem à acção, o pensamento. Carneiro é regido exotericamente por Marte, mas esotericamente por Mercúrio. Quando nos movimentamos neste sentido, podemos fazer deste ciclo de lunação uma oportunidade para usar o poder da acção para sair do estado de tensão em que nos encontramos, agir a partir de nova forma de pensar até que possamos conquistar o verdadeiro estado de ordem e harmonia que tanto desejamos. Isso implica tomar consciência sobre o verdadeiro objectivo das nossas lutas e batalhas. Partindo literalmente do princípio de que «a energia segue o pensamento», percebemos que ao compreender a nossa forma de pensar compreendemos como elas influenciam e condicionam as nossas atitudes. Percebemos que algo começou bem antes do impulso de agir… temos a oportunidade de compreender que a qualidade dos nossos pensamentos representa a qualidade das nossas iniciativas. Aqui, o nosso impulso, assertividade, entusiasmo, iniciativa, surgem no sentido de promover uma manifestação mais honesta do que podemos Ser.

Esta relação entre a acção e o pensamento está enfatizada durante este ciclo já que Marte ingressou recentemente em gémeos (onde permanece durante todo a fase de lunação), e Mercúrio ingressa no signo de Carneiro (a 17 de Abril), estabelecendo aquilo que em astrologia se designa por recepção mútua entre estes dois planetas. É um ciclo que permite uma maior sensibilidade às ideias que surgem no campo fértil do pensamento e que marcam a nossa atitude perante a vida.

É a vida a permitir que, a cada novo ciclo, possamos nascer para uma nova consciência. Resta-nos saber qual o Poder e a Vontade que nos move.

*

© Ana Paula Pestana, All Rights Reserved | ap_pestana@hotmail.com

Read Full Post »

%d bloggers like this: