Feeds:
Artigos
Comentários

Posts Tagged ‘crise de migração’

«O Eurotúnel já gastou mais de US$ 14 milhões em segurança nos primeiros seis meses de 2015, incluindo o dinheiro para cercas, câmaras, detectores infravermelhos e guardas adicionais.»

(BBC, agosto 2015)

 

«Acabar com crise dos migrantes é “prioridade”, defendem Grã-Bretanha e França (…) E o primeiro-ministro britânico, David Cameron, advertiu que esta crise poderia durar todo o verão, tendo prometido “mais barreiras, mais recursos, mais equipas de cães pisteiros” para ajudar a polícia francesa. (…) As novas medidas enviam “uma mensagem clara”, segundo May e Cazeneuve. “A nossa fronteira é segura, e não é fácil chegar ao Reino Unido”.

Ambos disseram que o mundo está a enfrentar “uma crise global de migração”, que requere uma resposta europeia e internacional e advertiram que a responsabilidade de combater o problema não deveria ser apenas da França e Grã-Bretanha.»

(LUSA, agosto 2015)

saturno

ingresso de Saturno em Sagitário (23 Dez 2014)

É frequente a representação mais negativa que positiva de Saturno. Ele marcou os limites do sistema solar durante séculos, ele era senhor e autoridade máxima nos limites da Consciência da Humanidade, e ainda assim tão pouco compreendemos do seu propósito no desenvolvimento da Consciência. Limitámos a nossa identificação com apenas parte da sua esfera de influência, o reino da matéria, o mundo físico. Ignorámos, durante o processo de estar incarnado, a compreensão espiritual que está subjacente a todas as experiências terrenas que ele nos obriga a viver. Identificá-mo-nos com um Saturno desprovido de Alma e Coração, desligado do Céu. Quando Saturno escolheu Gaia, ele ligou-nos à Terra e desligou-nos do Céu (Úrano). A castração de Úrano por parte de Saturno representa como que a nossa dificuldade em gerar vida na Terra quando nos desligamos do Céu. Desde então temos dificuldade em perceber que tudo o que existe na Terra é uma representação do Céu. Construímos, edificamos, sem a devida Consciência Divina. E aí sim, somos prisioneiros dos nossos próprios limites e limitações.

A profecia de Úrano aquando da sua castração vincula Saturno à simbologia da Lei do Karma. Colhes o que semeias, a qualidade da tua Vida é síncrona com a qualidade das tuas escolhas. Saturno teve que aprender pela sua própria experiência. Quando as estruturas, envelhecidas não deixam o que é novo, fresco, criativo, crescer, desenvolver-se, o medo de perder torna-se destrutivo e limita o próprio processo criativo.

Mas se na mitologia foi Saturno quem separou a Terra do Céu, também é o entendimento daquilo que ele representa que nos pode devolver ao Céu. Por isso Saturno é o guardião dos assuntos terrenos, Ele garante que na Terra são entendidas as Leis do Céu e do Inferno (os anéis de Saturno dividem-no numa parte superior e inferior). Foi a dificuldade em entender as atitudes de Úrano, o sofrimento, o desconforto, a tristeza que motivaram Gaia a consumar a separação. No ser humano não há como aprender se não for pela experiência. Qd temos a teoria precisamos de colocá-la em prática. É na prática que nos confrontamos com as dificuldades, com os obstáculos, com as falhas, com os erros, com a inadequação das nossas teorias. E com essa experiência aprimoramos o nosso saber. Ao nível espiritual, aquilo que queremos aprimorar é a nossa Consciência. A Consciência Universal, Celeste, Divina! E tudo isso leva Tempo! É a experiência na Terra que nos traz um entendimento do Céu, das suas Leis e Ensinamentos. Por isso Úrano devolvia os filhos ao útero de Gaia. Era por Amor. Assim como Gaia não entendeu, também nós temos dificuldade em entender que todo o sofrimento causado pela experiência é por Amor. Não vale a pena o pai dizer ao filho que não toque na panela que está ao lume porque se vai queimar. Essa Lei vai ficar impressa no seu Ser, vai fazer parte da sua Consciência quando ele experienciar a dor resultante da queimadura… A Consciência não é algo que se lê em livros, é algo que se Vive. Saturno mostra-nos, força-nos a viver os obstáculos necessários para que consigamos entender e ultrapassá-los e assim tomar Consciência das nossas próprias limitações. Só assim conseguimos ganhar a verdadeira Sabedoria. Ele é a consequência inerente ao nosso livre arbítrio. Que tudo o que nos acontece é da nossa inteira responsabilidade. É a nossa desresponsabilização na Terra que nos separou do Céu.

Da mesma forma que todas estas evidências mitológicas e astronómicas, Saturno astrológico, obriga-nos a funcionar dentro dos limites e, essencialmente, a aprender a aceitar e a definir esses limites, a aceitar e entender o propósito do tempo sobre o desenvolvimento da Consciência, a sermos organizados e responsáveis pelas escolhas que fazemos e pela própria vida. O facto de Úrano ter sido descoberto depois de Saturno mostra que sem a Consciência do que Saturno nos pede não conseguimos ser Livres. Eu sou Livre porque eu entendo a Ordem dentro do Caos. Normalmente não gostamos de Saturno, temos tendência a “pintá-lo” tal qual Goya e Peter Rubens, mas a verdade é que sem ele não há Liberdade porque Liberdade não significa fazer o que bem se entende sem querer saber das consequências dos nossos actos.

Até lá, e enquanto não passarmos os testes que a Vida nos propõe, senti-mo-nos limitados, com medo e oprimidos. Sem esta Consciência o homem ficará demasiado identificado com as ambições materiais, terrenas, apenas envelhecido pelo tempo ao invés de enriquecido. É entender que tal como no mundo espiritual (o Céu), também nós obedecemos às Lei e à Ordem. Da mesma forma que só se chega ao Céu vivendo as experiências na Terra, também não há como compreender as experiência na terra sem a Consciência das Grandes Leis Cósmicas, para que consigamos atribuir significado às mesmas. É o nível de Consciência que temos destas Leis Universais que define o grau de limitação em que vivemos. Qual o nosso nível de Identificação com o Céu e com os assuntos da Terra. Não é Saturno quem nos Limita, é a nossa Ignorância sobre tudo isto, sobre como a Vida na Terra precisa de respeitar as mesmas Leis do Céu. Saturno apenas materializa a nossa Ignorância em Limitações! Por isso «conhece a Lei e serás Livre» (Mestre Djwhal Khul). Saturno vem antes de Úrano no sistema solar e ambos são regentes de Aquário, o signo da Liberdade.

E não esqueçamos que é Plutão quem transita em Capricórnio, por isso através do signo pelo qual Saturno transita ele mostra as crises pelas quais temos que crescer e amadurecer, marca as experiências que permitem à Humanidade confrontar-se com a sombra social, em confrontarmo-nos com a triste realidade de quão infértil está o Planeta Terra. Infértil porque a Humanidade não compreende as Leis Cósmicas, infértil porque a Humanidade vive dissociada da sua natureza Superior. E por associação ao mito de Perséfone, o eixo Touro / Escorpião (regido por Plutão), quando a Primavera rompia após a ascensão de uma Perséfone transformada após a sua permanência de 6 meses no mundo de Hades (Plutão) transformando a paisagem e enriquecendo os terrenos, desejemos que aquilo que vem à superfície possa ser reciclado e usado como fertilizante para enriquecer os campos da Consciência.

Sagitário é um signo de Fogo, o último da tríade. Signo que precede Escorpião, é através dele que eu renasço para uma Identidade colectiva, uma Identidade integrada em algo que transcende o Ego. Em Sagitário eu acredito que existe algo maior do que eu e do qual quero fazer parte. Ele representa a Fé que faz o Caminho. Ele não precisa de saber o que está do outro lado para seguir em frente. Talvez a maior parte de nós espera que nos sejam dados os mapas e as indicações para que a Vida se abra e seja próspera. Mas como o que está cá fora é uma manifestação do que está cá dentro, não há Caminho enquanto eu não me predisponho a percorrê-lo. Em Sagitário eu acredito nessa realidade criativa e não preciso de mais nada a não ser a minha fé. A orientação da flecha para onde aponta o caminho está sempre dependente do nível de Consciência e da maturidade espiritual do arqueiro. Tudo isto que o Sagitário representa molda aquilo a que cada um denomina de visão da Vida. É o nível de Consciência de cada um que vai definir quão ampliada está a sua Identidade Cósmica, bem como as faculdades intuitivas de cada um.

Uma vez que está associado à ampliação da Identidade, de que fazemos parte de uma malha Cósmica, este arquétipo está mundanamente associado a tudo o que é estrangeiro, a tudo o que nos coloca em contacto com realidades desconhecidas para nós. É o espirito de aventura e de exploração, a necessidade de expansão, de ir além-fronteiras. Fala especificamente de outros povos e culturas que não o nosso, o estrangeiro, as grandes viagens.

É um signo que procura expansão, abertura de horizontes, ampliação do Significado da existência. “O saber não ocupa espaço e sim o vazio de não saber” (Eça de Queiroz)… frase tão adequada ao Sagitário. Há sempre espaço para saber mais! Mas é um conhecimento diferente daquele procurado por Mercúrio, é algo com o qual o Individuo se Identifique (já vimos que era um signo de Identidade). Ao identificar-me com aquela Verdade eu encontro-me ligado a algo comum a tantos outros e isso amplia a minha Identidade. Ele representa a Mente Superior, a mente que está ligada à fonte única de saber, de onde jorra o conhecimento Universal. Quando ainda confundimos Mercúrio com Júpiter, usamos a mente inferior para explicar o sentido da vida e ditar as leis pela qual o homem deve viver. São estas deformações criadas pela ignorância da personalidade que reduzem o esplendor deste arquétipo aos seus pequenos dogmas, fanatismos e à deformação das Leis Cósmicas nas leis mundanas que são criadas em função dos interesses individuais e exclusivamente terrenos. São essas deformações que limitam a nossa visão da Verdade e a construção desta Identidade Universal.

«O fenómeno migratório, continua, todos os dias, em cada vez mais continentes e territórios do mundo, a estilhaçar e a desestruturar o que vários Estados e organizações internacionais têm feito (ou não feito!) decidido (ou não decidido!) e concretizado em matéria de políticas públicas e direito da imigração. E a pôr a nu que nada é pior do que negar a realidade. São muitas as fronteiras e vários os muros que nos separam e que nos enchem de vergonha em relação a estas matérias.»

(Público, 28/05/2015)

E já sabemos que estas “coisas” não são coincidências com a entrada de Saturno em Sagitário. São os Arquétipos em manifestação. É a experiência colectiva a espelhar a realidade individual. É o macrocosmos a espelhar o trabalho a fazer no microcosmos. Quantos de nós estamos em “crise de migração” a querer (agora mais do nunca porque Saturno está em Sagitário!) transpor as barreiras que nos impedem de chegar mais longe, de Ser algo mais… ou pelo contrário, quantos de nós ainda continuam a fortalecer as suas barreiras, a construir maiores e mais duras defesas que os protejam do que é desconhecido e constitua uma ameaça, um “terrorismo” à sua perfeita crença de como o mundo deveria de ser … e ainda porque Plutão está em Capricórnio que intenções ocultas e destrutivas se escondem por entre gente com verdadeira intenção de construir uma vida com mais esperança e outras oportunistas e mal formadas que procuram saciar um fanatismo e sede de poder religioso, cujos meios justificam um triste fim (uma triagem que terá necessariamente que ser feita com a entrada de Júpiter em Virgem)?

Saturno fala igualmente de Sabedoria, a Sabedoria que é gerada através da compreensão da intenção Divina através das experiências pelas quais passamos na Terra. Na mitologia Cronos foi o pai da Idade do Ouro. O seu reinado foi um tempo de Consciência (Ouro), de prosperidade, de paz, de ausência de desperdícios, uma perfeita gestão da vida na Terra. Capricórnio vem depois de Sagitário e isso significa que é a compreensão das Leis que permite viver em Ordem… essa é A Sabedoria! E é porque ainda somos limitados na compreensão das Leis Cósmicas que ainda vivemos nesta desordem social, colectiva e individual… É o nosso nível de Sabedoria relativamente à Leis que irá definir a capacidade de entender como lidar com estes aspectos mundanos, que permitirá resolver e transformar os conflictos (Plutão) vividos por esta nossa sociedade ainda tão longe da Idade do Ouro. Por se tratar do signo de Sagitário, a Sabedoria a desenvolver implica a necessidade de construir uma Consciência mais abrangente de Identidade Social (Sagitário – último fogo do Zodíaco – e Saturno). Quais os limites do Mundo para cada uma das partes, para o país que recebe e para o país que quer entrar. Que todos Somos Um e que não existem coincidências. Uma Sociedade que vive capitalizada no desfavorecimento dos mais fracos não é uma sociedade justa, ética e moralmente correcta. E por muito que edifique as mais altas barreiras do mundo, quer seja através de vedações, armas e força bruta, não escapará à necessidade de se responsabilizar pela forma como procura satisfazer as suas ambições terrenas. Não pode continuar a edificar barreiras que bloqueiem (Saturno) esta necessidade de VER mais além (Sagitário) da sua fronteira (Saturno) e entender que tudo o que individualmente (ou em pequenos grupos) fazemos tem efeito e consequência (Saturno) além-fronteiras (Sagitário). E aquilo que estava além-fronteiras invade agora mais forte do que nunca (volto a relembrar que Saturno está em Sagitário a responder a um Plutão em Capricórnio) aqueles que se recusam a VER para lá do que acreditam ser Verdade… Saturno faz (a)colher tantos refugiados depois de tudo o que semeaste além-fronteiras com o desrespeito pela necessidade alheia e escravizando e usurpando da matéria-prima de outros. Construindo uma falsa idade do ouro (o da riqueza material)… Mas o que os olhos não vêm o coração não sente e por isso agora é impossível dizer que não está visível. É preciso chamar por um Saturno com Alma e Coração.

E ainda nesta linha de pensamento – Autoridade e Responsabilidade – estes países que se sentem (e são) escravizados são chamados a desenvolver o seu próprio poder pessoal e em responsabilizar-se por ultrapassar as limitações sociais do seu país usando os seus inúmeros recursos para se erguerem internamente, para fortalecerem o seu povo, ao invés de se contentarem em servir o poder externo enriquecendo e proporcionando abundância a poucos e mantendo muitos no desespero. Estes países precisam de estabelecer a Ordem interna para que o seu povo se possa sentir Livre e Próspero.

Tenho Fé que a Consciência de tudo isto ajudaria muito cada um de nós a saber exactamente quais os seus limites e limitações, bem como desenvolver a Sabedoria para viver em Paz com o resto do Mundo (que já dissemos sermos todos nós!).

Por tudo isto é Tempo (porque tudo tem um momento certo para acontecer – Saturno) de estruturar uma Sociedade com Verdadeira Identidade Colectiva, edificada em correctos valores de Ética, Moral e Verdade. Qual a ética e a moral, a noção de justiça e o entendimento das leis por parte de quem exerce Autoridade?

Todos estes acontecimentos, espalhados pelo mundo, concentram-se na simbologia que Saturno em trânsito transporta ao passar pelo signo de Sagitário. Poderíamos, usando este exemplo colectivo, transpor o seu Significado para a esfera individual:

  • Que tipo de barreiras são ainda edificadas entre os vários povos e culturas do mundo? De que maneira uma cultura/povo, com os seus hábitos e crenças particulares, pode ampliar ou desordenar outra cultura/povo? Quais os medos ocultos (é Plutão em Capricórnio) que me fazem defender daquilo que para mim é “estrangeiro” como se disso dependesse a minha sobrevivência?
  • Coletivamente, o que é que ainda nos separa, nos divide, nos bloqueia, nos limita?
  • O mundo é lugar para todos, ou estamos limitados à fronteira de cada país? Quais os limites das nossas “fronteiras”? Como estruturar as nossas “barreiras internacionais”?
  • Quem nos define como Autoridade que determina a legalidade ou ilegalidade de um cidadão?
  • E se assim não for, como manter a ordem e o “bom funcionamento” das pequenas “ilhas” nacionalistas? Como manter e garantir a nossa estrutura a funcionar dentro da Ordem?
  • Quão limitadada está a nossa compreensão das Leis ao nível Social? Quão ordenado ou desornado está o nosso mundo (individual e colectivo)?
  • E como é que isso reflecte onde preciso de amadurecer e de me responsabilizar pela minha ignorância Espiritual que restringe a minha compreensão das Leis Universais?
  • Quais os Limites da nossa Liberdade e da nossa necessidade de Expansão?
  • Vem testar se vivemos em Verdade, se perante os testes e dificuldades em que é que acreditamos e por que valores mais altos nos orientam?
  • Quão limitada é a nossa Visão do mundo quando ousamos saltar a barreira que nos separa do desconhecido?
  • Quão inférteis estão as estruturas da nossa Vida, quão desprovida de Valor e Significado? Quão limitadas são as minhas crenças e filosofias de vida? E quanto continuo a ter que perder pela (má) influência das mesmas?
  • Quão ignorante me sinto das necessidades do mundo inteiro? Quão limitado é o meu conhecimento sobre a Verdade? Quanto ainda não conheço de mim (Identidade Colectiva)?
  • Onde posso edificar a minha idade do Ouro? Como consolidar os meus objectivos e atingir as metas que me expandem e ampliam?

A cura de tudo isto irá depender de quão actualizado está o meu sistema de crenças, os meus valores, a minha compreensão da Verdade, …, enfim, tudo o que já foi desenvolvido ao longo deste (longo) artigo. Saturno vai confrontar-nos na esfera da vida terrena com as consequências resultantes das escolhas por nós feitas ao longo do Tempo. Vem validar as nossas respostas a todas estas perguntas (e mais as que vos surgirem) … Ele recompensa ou restringe em função da Veracidade das nossas Vidas (praticas o que pregas?). E nada disto é castigo ou reprimenda injusta, é apenas Responsabilização (colhes o que semeias…).

Cada um de nós pode fazer fluir estes desafios pela(s) casa(s) transitada(s) por Saturno. Tudo o que ele aí propõe será utilizado para transmutar a área de vida por onde transita Plutão em Capricórnio e terá influência directa na casa cuja cúspide é Capricórnio e Aquário.

Com Amor por esta arte deixo a minha partilha ❤

(Para saber mais – e outras – implicações sobre o trânsito de Saturno pelo signo do Arqueiro oiça o webinar gravado a 11 de Dezembro de 2014 em: https://www.youtube.com/watch?v=uT5APLEQ1LY )

saturno em sagitário

*

© Ana Paula Pestana, All Rights Reserved | ap_pestana@hotmail.com

Anúncios

Read Full Post »

%d bloggers like this: